sábado, 27 de março de 2010

Love your body, love yourself

Amar nosso corpo como ele é... Amar a si mesmas... É uma longa e difícil luta esta pela aceitação corporal e autoestima femininas, eu sei. Não é nada fácil competir com os cotidianos bombardeios midiáticos de imagens de mulheres magras, de cabelos lisos e sem nenhuma ruga no rosto, eu também sei. Afinal, é interessante para a megaindústria da beleza e da moda que nos olhemos no espelho e fiquemos insatisfeitas... Assim, mais cremes, mais dietas, mais cirurgias plásticas e mais roupas consumimos, não é mesmo?
A boa notícia é que as grandes responsáveis por mudar esses padrões e por acabar com tanto sofrimento feminino somos nós mesmas. Sim! Eu, você e todas nós!
Em primeiro lugar, celebre seu corpo! Como eu já disse aqui, devemos ser gratas a nossos corpos, pois é através deles que podemos experimentar as delícias do mundo!
Em segundo, pressione, pressione, pressione. Se você entra numa loja, pergunta por aquela calça linda, número 46 (já aconteceu comigo!) e a vendedora responde: "Grande assim não tem!", deixe claro para ela (e para você mesma) que um lugar assim não merece seu rico dinheirinho. (E nada de ficar chorando por causa disso. O problema é deles, não é seu.)
E estou dando somente este exemplo, pois é o que mais acontece comigo, já que sou uma mulher grande, no entanto isso pode se aplicar a outros aspectos que fujam ao padrão do que a-mídia-e-a-indústria-dizem-que-é-bonito, como ser baixinha, ter cabelos crespos, ter pele negra, ter rugas, entre outras coisas.
Por fim, assista a esta excelente entrevista com a psicanalista Susie Orbach...




...e dê uma boa olhada nestas pequenas iniciativas em prol da aceitação corporal e da autoestima. Ouçam o que eu digo, meninas: este é um movimento que está crescendo e fazê-lo ganhar força só depende de nós!
Love your body day, campanha da NowFoundation que existe desde 1999.

Do site Adipositivity

E agora, sinceramente: o que é mais bonito?

6 comentários:

  1. Olá... vistei e gostei...
    agora vc faz parte dos blogs que eu leio, sou sua seguidora!!!
    ótima semana!!!
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Bem vinda, Senhorita Baunilha! Obrigada pela visita e volte sempre! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Aaaah, amei! Amei, amei, amei, rs.

    Pois é, é difícil mesmo não ceder às imposições estéticas deste mundo cruel... por mais que eu defenda muito a nossa autonomia-de-ser, às vezes confesso que é complicado, rs.

    Mas é claro que quanto mais gente se impondo, melhor!

    Beijos, dona moça!

    ResponderExcluir
  4. Olá aline...
    Ótimo texto,já tive meus momentos de achar que estava fora do padrão,mas isso ficou para trás,hoje me aceito muito bem do jeito que sou hoje e não comparando ao o que eu era antes dos meus 3 filhos,até porque tem a lei da gravidade tb,tem coisas mais importante para eu me preocupar.beijocas MEUMUNDO+TRÊS

    ResponderExcluir
  5. Concordo em gênero, número e grau! A mulher que se aceita e se ama já é bela. Essas magrelas de passarela são quase uma aberração, um coisa horrorosa, uma celebração à morte. A industria da moda deveria ter vergonha disso. Mas é isso, tu tens razão, a coisa está mudando e depende muito de nós.

    beijocas, querida!

    ResponderExcluir
  6. gostei do seu blog ! parabéns ... concordo com vc !

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar o Caraminholas! Fico muito contente em saber sua opinião.